12/08/2021 às 12:41h
Com ambulância e confusão, Fla goleia Olimpia e encaminha vaga

O duelo entre Olimpia (PAR) e Flamengo, nesta quarta-feira (11), foi confuso do início ao fim. Teve jogador deixando o campo de ambulância, expulsão cancelada e pênalti marcado para o outro lado pelo VAR e até acusação de racismo.

 

Com a bola rolando, porém, prevaleceu a superioridade do time brasileiro. Com gols de Arrascaeta, Vitinho e dois de Gabigol, o Rubro-Negro goleou os paraguaios fora de casa por 4 a 1 e encaminhou a classificação para a semifinal da Libertadores. O duelo de volta está marcado para a semana que vem, em Brasília.

 

Antes disso, o Fla tem pela frente um compromisso importante pelo Brasileirão. No domingo, o time tem pela frente o Sport.

 

Leia também - Com Messi, PSG terá elenco avaliado em mais de R$ 6 bilhões

 

TRIO DO FLAMENGO EM PLENO VAPOR


Apoiado pelos cerca de 2 mil torcedores presentes, o Olimpia não se intimidou diante do Flamengo e tentou pressionar o rival no início da partida. Os primeiros 10 minutos foram de muita disposição e uma chance para cada lado.

 

A primeira foi com Bruno Henrique, partindo pela direita e encontrando Gabigol dentro da área. Aguilar fez grande defesa na finalização do camisa 9, mas o impedimento foi marcado. Na sequência, a marcação do Olimpia atrapalhou a saída de Diego Alves, e a bola cruzou a área duas vezes antes da zaga limpar.

 

Com a bola nos pés, o time de Renato Gaúcho já dava indícios da superioridade quando Gabigol recuou para a intermediária e, ao girar, quebrou a marcação do rival. Bruno Henrique disparou, recebeu e serviu Arrascaeta que, livre e com categoria, abriu o placar aos 15 minutos. Um golaço típico do trio rubro-negro.

 

AMBULÂNCIA, PREOCUPAÇÃO E ÂNIMOS ACIRRADOS

 

A "loucura" no Estádio Manuel Ferreira começou após o choque entre Arrascaeta e Salazar. De forma involuntária, o camisa 14 do Fla acertou o rosto do adversário, que levou a pior e precisou ser levado de ambulância. O jogo ficou parado por 10 minutos e, ao ser reiniciado, os ânimos estavam acirrados.

 

A partir disso, sobraram entradas duras - as quais foram marcadas pelo juiz -, empurra-empurra entre os atletas e outras tantas tentativas de cavar faltas. Quando o Flamengo se preocupava em ter a bola e jogar, não passava sustos.

 

Por outro lado, o Olimpia só ameaçava quando a zaga rival vacilava em meio à correria. O problema é que Diego Alves e os zagueiros mostraram-se inseguros.

 

QUE CONFUSÃO, HEIN, ÁRBITRO?

 

Apesar dos paraguaios tentarem um jogo mais físico, o árbitro tinha o controle até os 52 minutos. Filipe Luís derrubou Sosa na entrada da área e recebeu o segundo cartão amarelo. O primeiro havia sido dado seis minutos antes, quando o lateral trocou empurrões com Derlis González após tentar sair jogando rápido.

 

A arbitragem de vídeo, então, entrou em ação e Fernando Rapallini foi ao VAR. Ao assistir um lance na origem da jogada, marcou pênalti em cima de Arrascaeta, voltou atrás e cancelou o cartão amarelo para Filipe Luís, de volta ao jogo. A penalidade ocorreu em pisão na ponta do pé uruguaio. Um capricho do VAR.

 

AINDA TEVE TEMPO PARA MAIS!


Quando a bola está na marca do pênalti e Gabigol é quem vai cobrar, a torcida do Flamengo já comemora. A cobrança calma, deslocando o goleiro, confirmou a festa da Nação, que, aos 56 minutos, festejava a vantagem de 2 a 0 no placar.

 

Contudo, o primeiro tempo ainda não havia terminado. Otálvaro levantou a bola na área do Flamengo aos 58 e, "depois de tanto insistir", a zaga deu ao Olimpia o gol. A hesitação de Léo Pereira bagunçou a defesa, e Iván Torres descontou. Finalmente, após 60 minutos, o árbitro encerrou a primeira etapa.

 

GABIGOL E VITINHO COLOCAM 'DOIS PÉS' NA SEMI


​O intervalo passou rápido, e, logo no início, o trio do Flamengo voltou a decidir. Arrascaeta avançou pelo meio e encontrou BH na entrada da área. O chute foi ruim, mas na direção de Gabigol, que só desviou para fazer 3 a 1 aos 6 minutos. A marcação do Olimpia ficou só olhando, não pressionando nenhum dos três.

 

A partida ficou a gosto do Flamengo. Os paraguaios sentiram, as substituições não surtiram efeito e as chances de gol até os minutos finais foram só da equipe rubro-negra. Já parecia que o time ia desperdiçar a chance de trazer para o Brasil uma vantagem ainda maior, até que Gabigol foi lançado e partiu até a área. Cara a cara com Aguilar, o camisa 9 rolou para Vitinho, que só precisou empurrar para o fundo do gol: 4 a 1, aos 45, e fim de jogo em Assunção.

 

OLIMPIA 1X4 FLAMENGO

 

Estádio: Manuel Ferreira, em Assunção (PAR).


Data e hora: 10 de agosto de 2021, às 19h15 (de Brasília).


Árbitro: Fernando Rapallini (ARG).


Assistentes: Juan Pablo Belatti (ARG) e Diego Bonfá (ARG).


Árbitro de vídeo: Mauro Vigliano (ARG).


Gols: Arrascaeta (0-1, 15'/1ºT), Gabigol (0-2, 56'/1ºT e 1-3, 6'/2ºT), Iván Torres (1-2, 58'/1ºT) e Vitinho (1-4, 45'/2ºT)
Cartão amarelo: Ortiz, Orzusa, Derlis González, Salcedo(OLP); Filipe Luís, Gustavo Henrique, Isla, Arrascaeta, (FLA).

 

Cartão vermelho: Não houve.


OLIMPIA (Técnico: Sergio Órteman): Aguilar; Salazar (Otálvaro, 30'/1ºT), Salcedo, Ortiz e Iván Torres; Orzusa (Quintana, 13'/2ºT), Ramón Sosa, Derlis González (Camacho, 33'/2ºT) e Ojeda; Walter González (Recalde, 13'/2ºT) e Roque Santa Cruz.

 

FLAMENGO (Técnico: Renato Gaúcho): Diego Alves; Isla (Matheuzinho, 11'/2ºT), Gustavo Henrique, Léo Pereira e Filipe Luís (Ramon, 11'/2ºT); Willian Arão, Diego (Vitinho, 37'/2ºT), Everton Ribeiro (Michael, 28'/2ºT) e Arrascaeta (Thiago Maia, 37'/2ºT); Bruno Henrique e Gabigol.

Espalhe por ai:
Link:
Esportes
ESPORTEFUTEBOL
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2021 - Grupo Nova Visão de Comunicação - /Jornalista responsável Solange Priscila DRT MT- 002121