08/04/2020 às 11:31h
'Nunca usamos termos diminutivos para esta pandemia', diz Mauro Mendes

Apesar deixar claro que não trabalha com números e estatísticas sobre a pandemia do coronavírus, o governo não esconde que usa um estudo mostrando que o pico da Covid-19 em Mato Grosso se dará entre o fim de abril e começo de maio, atingindo 4 mil pessoas, abrindo a necessidade de 200 leitos de UTI.

 

O gestor acredita que o SUS não ficará sobrecarregado. Ele lembra que a rede particular tem atendido a maioria dos casos no estado.

 

Mendes está construindo 200 novos leitos anexo ao Hospital Metropolitano que deve ser entregue até o fim deste mês. O governador disse que não vai trabalhar com essas premissas de quantitativo de casos, mas destacou que não é uma verdade e sim uma projeção que pode ou não se concretizar, dependendo do comportamento da população.


“Nem todas as pessoas que estão internadas estão no SUS (até esta sexta), a maioria está na rede privada. Quando a gente fala de leitos, nós consideramos a rede SUS e privada. Tem muito hospital privado em Mato Grosso”, disse o governador.

 

O governador disse que o Estado nunca brincou com o vírus e que não menospreza o potencial de destruição do novo coronavírus. Mas, destaca que é importante a prevenção para não atingir o maior número de pessoas. “Nosso objetivo é salvar o maior número de vidas possível, o governo de Mato Grosso trabalha olhando para esse problema. Nunca usamos termos diminutivos para esta pandemia, reconhecemos que ela tem potencial letal e estamos tomando as medidas necessárias”, disse.

 

O governador destaca que a campanha do uso de máscaras lançada nesta semana tem o objetivo de mostrar que o Estado trata do assunto com a seriedade que ele merece.


Fonte: Gazeta Digital

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2020 - SOLANGE PRISCILA DE SOUZA - CNPJ: 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Solange Priscila DRT MT- 002121