03/11/2019 às 07:36h
Racha no Novo: grupo ligado ao campo se opõe à suspensão de Salles

O grupo Novo no Campo, ala do partido presidido por João Amoêdo ligada ao agronegócio, veio a público neste fim de semana para se posicionar contra a suspensão do ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) da sigla.

O Novo anunciou a suspensão temporária da filiação do ministro na última 5ª feira (31.out.2019), por “risco de dano grave e de difícil reparação à imagem e reputação” da agremiação. A medida valerá até o julgamento definitivo de denúncia apresentada à comissão de ética do partido, que ainda não tem data marcada.

O comunicado da legenda diz que Salles atuava “com grande convicção na adoção de condutas divergentes” com os programas do Novo no tema ambiental, incluindo a demissão de profissionais qualificados, desdenhando de dados científicos e revogando políticas públicas sem debate prévio.

Em manifesto enviado ao Diretório Nacional, o grupo Novo no Campo comunicou que recebeu a informação com “surpresa e indignação” e defendeu que o partido seja mais transparente em relação aos fatos e à denúncia que levaram à suspensão de Salles.

“Acreditamos que o Sr. Ricardo Salles vem realizando 1 trabalho excepcional à frente do Ministério do Meio Ambiente. Ele tem incansavelmente lutado por uma reformulação do ministério que, por 16 anos, foi aparelhado por profissionais com víeis ideológico e não técnico”, diz o manifesto, assinado por 9 filiados ao Novo.

O Campo avalia que, pela 1ª vez “em muitos anos”, o Brasil possui 1 ministro que pensa de forma integrada o meio ambiente e a vida econômica que o cerca. Também defende que ele tem sido “bombardeado” pela imprensa, que, segundo o grupo, perdeu “suas facilidades financeiras antes fornecidas por governos populistas”.

O grupo reconheceu, porém, que, em “alguns momentos mais tensos”, o discurso de Salles poderia ter sido mais ponderado e didático ao grande público, mas que, mesmo nos pronunciamentos mais infelizes, o ministro jamais denegriu o nome e a imagem do partido. O comunicado foi divulgado depois de reunião que ocorreu no sábado (3.nov.2019).

Em vídeo, Fernando Meira, ex-presidente do diretório do Novo de São Paulo, disse que não há fundamentos para pedir a expulsão de Salles do partido. De acordo com ele, Salles teve “azar” de ter ocorrido o acidente com a mineradora da Vale em Brumadinho, as queimadas na Amazônia e o vazamento de óleo nas praias do Nordeste.

“(Ele) Está lá encarando isso. Um desafio que quem está na guerra acaba se sujando, não vai ser perfeito. Então é o seguinte: não vejo motivo algum, institucionalmente, para a expulsão de Salles”, disse. 

Eis a íntegra do manifesto do grupo Campo:

Foi com muita surpresa e indignação que recebemos ontem a informação de que o Filiado ao partido NOVO e, então Ministro do Meio Ambiente, Sr. Ricardo Salles, teve sua filiação temporariamente suspensa.

O NOVO no Campo é um grupo de centenas de filiados e/ou apoiadores do Partido NOVO, em diversas localidades do país, que tem como objetivo disseminar os princípios e ideias do partido no ambiente rural e, também de maneira inversa, trazer ao NOVO, as demandas daqueles que lá vivem e produzem, contribuindo para o agronegócio do Brasil de forma significativa.

Acreditamos que o NOVO, norteado por princípios liberais, transparentes e com uma sólida governança, seja a grande ferramenta de mudança da Política Brasileira.

Baseados justamente nesta crença, queremos através deste manifesto, de forma respeitosa e transparente, colocarmos nossa opinião totalmente divergente a adotada pela Comissão Nacional de Ética partidária e pedir esclarecimentos a seguir:

– Gostaríamos que o Partido fosse mais transparente em relação aos fatos e a denúncia que o levaram a tomar tal decisão. Para criarmos um Partido Político verdadeiramente transparente, os exemplos precisam vir de cima para baixo.

Aqui, com o devido acatamento, consta no “Espaço NOVO” na opção, COMISSÃO DE ÉTICA PARTIDÁRIA, todos os processos e os resultados em tramites no CEP para livre acesso dos filiados. Porém, ocorre que, diferentemente dos demais casos, o processo do Salles, foi enviado através de uma comunicação oficial do partido para toda a base de filiados do NOVO.

Gostaríamos de esclarecimentos sobre o motivo pelo qual decidiu-se propagar um mailing com o resultado do processo disciplinar do Sr. Salles e não fazer o mesmo com as demais pessoas que respondem no CEP?

– Acreditamos que o Sr. Ricardo Salles vem realizando um trabalho excepcional a frente do Ministério do Meio Ambiente. Ele tem incansavelmente lutado por uma reformulação do Ministério que, por 16 anos, foi aparelhado por profissionais com víeis ideológico e não técnico. Pela primeira vez em muitos anos, o Brasil possui um Ministro que pensa de forma integrada o Meio Ambiente e a vida econômica que o cerca. Um não prosperará sem o entendimento do outro.

– O Ministro Salles vem sendo bombardeado por grande parte da imprensa brasileira que, ao perderem suas facilidades financeiras antes fornecidas por governos populistas, vêm adotando uma postura parcial a fim de desestabilizar este governo. O NOVO não pode cair nesta armadilha.

– O Brasil passa por um momento crucial de reformas. Deixar de apoiar o Ministro neste momento tão importante para o país será um equívoco enorme por parte do NOVO com consequências desastrosas ao seu futuro.

– Entendemos que durante alguns momentos mais tensos, o discurso do Ministro Salles poderia ter sido mais ponderado e didático ao grande público. Porém, é nítida a sua evolução nos seus últimos pronunciamentos. Além do mais, mesmo nos seus pronunciamentos mais infelizes, o Ministro jamais denegriu o nome e a imagem do Partido NOVO. Desde o início de seu mandato vem demonstrando uma postura ética condizente ao cargo que ocupa e ao Partido que representa.

– No dia 01.11.10, foi citado pelo Min. Salles em sua participação no Programa Pânico que a referente decisão de suspensão foi proferida de forma monocrática por membro do CEP recém integrado a comissão e que este já se tornou relator do processo. Não há sorteio para relatoria? Qual critério para um membro do CEP se tornar relator de um processo? Foi citado ainda que, apesar da maioria dos votos favoráveis para a rejeição da denúncia aberta (3 votos de 4), prevaleceu o entendimento do relator recém integrado na comissão, para a suspensão. Questiona-se, como pode prevalecer de forma monocrática uma decisão que já tinha no bojo do colegiado do CEP, maioria de votos para a rejeição? O relator não levou em consideração os três votos anteriores?

– Sobre o processo disciplinar que o Sr. Salles responde, existe previsão para o resultado final? Quais são os prazos e procedimentos de processos do CEP?

Confiamos na governança do Partido NOVO e na imparcialidade dos representantes da comissão de Ética, para que, o mais breve possível, este equívoco seja desfeito e o filiado, Sr. Ricardo Salles, tenha reestabelecida sua filiação de forma regular, até o final do processo disciplinar.

Atenciosamente,

NOVO no Campo, filiados e apoiadores.

Eduardo Pereira

Silvio T Junqueira

José Renato da Costa Alberto

Antonio de Almeida Prado

Gilmar Luiz Martins

Assis Marinho Carvalho

José Reinaldo de Amorim Bernardi

Daniel Barbosa Strang

André Pinto Coelho Sant Anna

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2019 - SOLANGE PRISCILA DE SOUZA - CNPJ: 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Solange Priscila DRT MT- 002121