28/08/2019 às 11:13h
Mauro defende exploração de até 5% de terras indígenas
'AMPLIAR RIQUEZAS'
Vitória Lopes

Em reunião dos oito governadores da Amazônia Legal com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), Mauro Mendes defendeu a  exploração de recursos em terras indígenas, para ampliar as riquezas do Estado e como fonte de renda para os índios.

 

Durante reportagem exibida no jornal O Globo, Mendes e o governador do Tocantins, Marcos Carlesse (PHS) foram os chefes do executivo estadual que adotaram uma posição mais alinhada com o que o governo federal defende na área da Amazônia Legal.

 

Em sua fala durante a reunião, o governador afirmou que entre 2 a 5% dos territórios indígenas possam ser utilizados de forma rentável. “É hora presidente, de nós sob a sua liderança, com a sua coragem, com a competência da sua equipe, de nós botarmos o dedo nessa ferida”, disse Mendes, em alusão à polêmica de exploração das terras.

 

“Não queremos tirar terra de índio, não. Nós queremos as riquezas que lá estão. Pra tirar essas riquezas, nós podemos afetar 1 ou 2% dessas áreas, não mais do que isso. Não podemos ter uma casa com um quadro na parede que vale milhões e ter nossos filhos passando fome”, defendeu.

 

Ele ainda citou como exemplo o caso dos índios da etnia Paresi, de Campo Novo do Parecis, que foram multados pelo Ibama ao produzirem soja em cerca de 2% de sua área.

 

Ao fim da reunião, os oito governadores entregaram ao presidente o plano estratégico realizado pelos chefes de Estado para o desenvolvimento da região. Os gestores ainda disseram contar com o dinheiro oferecido pelo G7.

 

PEC 187/2016

No último dia 15, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara aprovou uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC 187/2016), que autoriza a prática de atividade agropecuária, tanto do ponto de vista econômico quanto florestal, em terras indígenas. Os defensores do projeto alegam que a medida vai gerar renda às comunidades que vivem nestes locais.

 

Um dos apoiadores da PEC é o deputado federal Nelson Barbudo (PSL), que afirmou que a proposta assegura autonomia às comunidades indígenas. “Os indígenas têm que ter o direito de escolher se querem ou não plantar em suas terras. Liberdade aos índios”.

 

A PEC, aprovada com 33 votos favoráveis, é de autoria do deputado Vicentinho Júnior (PL/TO) e foi relatada na Comissão pelo parlamentar Pedro Lupion (DEM-PR).

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2019 - SOLANGE PRISCILA DE SOUZA - CNPJ: 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Solange Priscila DRT MT- 002121