05/01/2019 às 03:03h
Fazenda de Riva em Colniza é invadida; 2 mortos e 8 feridos

Atualizada às 11h18 - Cerca de 150 pessoas fortemente armadas invadiram a Fazenda Agropecuária Bauru (Magali), em Colniza  (1.065 km de Cuiabá), de propriedade do ex-deputado estadual José Riva, na manhã deste sábado (5).

 

De acordo com as primeiras informações,  segundo Derisvaldo de Sá,  é de que o grupo de trabalhadores rurais estavam na beira do rio quando foram surpreendidos pelos seguranças da fazenda. 

 

Duas pessoas morreram, uma identificada como Elizeu, e 8 foram baleados. Um dos seguranças responsáveis pela proteção da área informou que os invasores estavam com armas longas, espingardas e armas de calibre 12 e 38. Eles tentaram incendiar uma caminhonete.

 

"Tem que vir apoio aqui para gente. Não vem de ônibus para demorar 2 dias. Tem que vir de avião para chegar hoje ainda. Vai precisar do Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] porque nós acertamos de 4 a 6 pessoas, inclusive mulher. Estavam tudo no meio e vieram pra cima da gente", diz o audio enviado por um segurança à polícia, no momento do crime.

 

De acordo com Riva, o estado deve agir com mais rigor contra os invasores e é necessária uma intervenção na região para que os proprietários de terra da região possam ter segurança.

 

"Para você ter uma ideia mesmo com a decisão judicial para eles ficarem 5km longe da área eles acabaram com tudo nas fazenda. Entram lá, fazem tocaia para os seguranças. Além disso estão matando gados, animais, tudo. Então é um vandalismo total", disse o ex-deputado.

 

Procurado pelo  o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, está aguardando as informações precisas para tomar todas as medidas cabíveis.

 

"Ainda tem muitas informações desencontradas. Estamos levantando tudo para decidir o que fazer", disse. "Se for preciso encaminhamos reforço para a região, nós o faremos. Mas precisamos aguardar o que o comando da região nos pedirá.

 

A fazenda foi citada em delação premiada pelo ex-governador Silval Barbosa. Segundo ele, a propriedade foi negociada pela quantia de R$ 18 milhões. Silval está em Matupá e nao vai se manifestar sobre o ocorrido.

 

A Delegacia de Polícia de Colniza solicitou reforço da Gerência de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil, Ciopaer, da Secretaria de Segurança Pública, e peritos da Politec de Cuiabá para realizar os trabalhos de local de crime e necropsia.

 

Caso    

 

O Ministério Público alertou em outubro  que um grupo de aproximadamente 200 pessoas ocupou a Fazenda Agropecuária Bauru (Magali), que possui 46 mil alqueires. O clima no local era de tensão já que 30 seguranças privados contratados por Riva estavam se deslocando para a fazenda.    

 

Diante da situação, o MP comunicou novamente as autoridades competentes reiterando providências, já que há possibilidade de um confronto entre posseiros e seguranças.  

 

De acordo com o MPE, a Fazenda Agropecuária Bauru vem sofrendo invasões desde o ano 2000 e que, após a reintegração de posse ocorrida em 2017, as ameaças se intensificaram até culminar com a invasão do grupo que tomou as terras à força.    

 

A preocupação do MPE é que ocorra novamente uma tragédia na região, assim como a registrada em abril de 2017, quando 9 trabalhadores rurais foram brutalmente assassinados no Distrito de Taquaruçu do Norte.

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2019 - SOLANGE PRISCILA DE SOUZA - CNPJ: 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Solange Priscila DRT MT- 002121