28/05/2018 às 10:23h
Sem ração, 64 milhões de aves já morreram em todo o país

avicultura-galinha-ovo-06-original.jpeg: ABPA diz que 1 bilhão de aves e 20 milhões de suínos estão recebendo alimentação insuficiente devido à paralisação dos caminhoneiros© VEJA ABPA diz que 1 bilhão de aves e 20 milhões de suínos estão recebendo alimentação insuficiente devido à paralisação dos caminhoneiros

Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) disse que, por falta de condições de transporte pelas rodovias brasileiras devido à paralisação dos caminhoneiros, milhares de toneladas de alimentos estão ameaçados de perder prazo de validade, enquanto o consumidor enfrenta a escassez de produtos.

De acordo com a entidade, 1 bilhão de aves e 20 milhões de suínos estão recebendo alimentação insuficiente e a mortandade animal é uma realidade no setor.

“Com risco de canibalização e condições críticas para os animais, 64 milhões de aves adultas e pintinhos já morreram, e um número maior deverá ser sacrificado em cumprimento às recomendações da Organização Mundial de Saúde Animal e das normas sanitárias vigentes no Brasil. Milhões de suínos também estão ameaçados”, diz a associação em nota. Sem combustível para os tratores, até o enterro dessas aves está sendo afetado.

A mortandade cria uma grave barreira para a recuperação da produção do setor nas próximas semanas e meses. “As carnes suína, de frango e os ovos, proteínas que antes eram abundantes e com preços acessíveis, poderão se tornar significativamente mais caras ao consumidor caso a greve se estenda ainda mais. O velho fantasma da inflaçãopoderá assombrar o país, pelo menos até que ocorra o restabelecimento da produção. Os menos favorecidos serão os mais prejudicados”, alerta a entidade.

A ABPA registrou 167 plantas frigoríficas de aves e suínos paradas. Mais de 234.000 trabalhadores estão com atividades suspensas.

O desabastecimento de alimentos para o consumidor também já é fato, uma vez que milhares de toneladas de carnes e outros produtos deixaram de ser transportados para os centros de distribuição desde o início da greve. Outros milhares de toneladas não foram produzidos pelas fábricas, que foram obrigadas a paralisar a produção por não ter mais onde estocar produtos.

A situação é caótica não só para o mercado nacional. Aproximadamente 100.000 toneladas de carne de aves e de suínos deixaram de ser exportadas na última semana. O impacto na balança comercial já é estimado em 350 milhões de dólares

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2018 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121