16/05/2018 às 10:34h
Ataque convocado por Tite é o mais baixo do Brasil nas últimas sete Copas


Coerência e convicção talvez tenham sido as principais marcas de Tite na convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo da Rússia. Depois de representar praticamente uma revolução na história recente do time nacional, o treinador chega ao Mundial no comando de umas das favoritas ao torneio: “O Brasil é um dos favoritos, sim. Pelo futebol que tem apresentado e pela consistência da equipe”, segundo o próprio treinador. No entanto, o comandante parece também ter convicção de uma coisa: bola área ofensiva será uma pratica diminuta do Brasil no Mundial.

Desde a Copa de 1994, quando os “baixinhos” Bebeto e Romário formaram a dupla de ataque do Brasil, a estatura média dos atacantes da seleção sofreu uma transformação. De Bebeto a Gabriel Jesus, provável titular do Brasil nesta Copa, houve uma mudança significativa – quebrada, porém, pelo atual setor ofensivo do time comandado por Tite.

Para o Mundial da Rússia, o treinador da Seleção Brasileira convocou cinco atletas como atacantes: Neymar, Gabriel Jesus, Douglas Costa, Roberto Firmino e Taison. Com exceção do atacante do Liverpool, todos estão na casa de 1,70 metro. Realidade diferente, por exemplo, do ano de 2006, quando Parreira levou os altos Ronaldo (1,82m), Adriano (1,90m) e Fred (1,85m), além de Robinho, de estatura parecida com os atacantes atuais (1,72m).

1994: Ronaldo 1,82m / Bebeto 1,78m / Romário 1,67m / Viola 1,79m / Muller 1,78m/ média = 1,76m

1998: Ronaldo 1,82m / Bebeto 1,78m / Edmundo 1,77m / média = 1,79m

2002: Ronaldo 1,82m / Rivaldo 1,86m / Edilson 1,68m / Luizão 1,78m / média = 1,78m

2006: Ronaldo 1,82m / Adriano, 1,90m / Fred 1,85m / Robinho 1,78m / média = 1,82m

2010: Robinho 1,72m / Grafite 1,89m / Luís Fabiano 1,85m/ Nilmar 1,80m / Julio Baptista 1,85m / média = 1,82m

2014: Neymar 1,75m / Bernard 1,64m / Fred 1,85m / Jô 1,90m / média = 1,78m

2018: Neymar 1,75m / Firmino 1,81m / Douglas Costa 1,70m / Taison 1,72m/ Gabriel Jesus 1,75m / média = 1,74

Em comparação com os “maiores ataques” que o Brasil levou aos últimos torneios, o atual setor ofensivo está 8cm menor em relação aos de 2006 e 2010, que tiveram média de 1,82. Embora não tenham tido médias expressivas, em 1998, 2002 e 2014, por exemplo, a Seleção Brasileira entrou em campo todas as vezes pelo menos com um atacante acima de 1,80 – o que também aconteceu em 2006 e 2010.

De qualquer maneira, a estatura dos atletas do setor ofensivo do time formado por Tite não deve ser problema no torneio. Desde que assumiu a seleção em junho de 2016, foram marcados três gols de cabeça de atacantes do grupo: dois de Gabriel Jesus e um de Roberto Firmino – o que representa apenas 7% dos gols desde que Tite assumiu o comando do time.

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2018 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121