05/04/2018 às 07:34h
Andrés explica mudança e insinua que Palmeiras queria treinos fechados

© Fornecido por Fundação Cásper Líbero

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, tomou a palavra para si na tarde desta quinta-feira, realizando um pronunciamento e respondendo algumas perguntas antes do treino da equipe, no CT Joaquim Grava. Horas depois de mudar o treino aberto à torcida da manhã do sábado para a noite de sexta-feira, o mandatário negou que tenha cedido à pressão externa e disse que evitou que tanto a atividade alvinegra quanto a alviverde fossem fechadas por determinação da Justiça, algo que, segundo ele, agradaria a “outra parte envolvida”. Neste caso, o Palmeiras.

“Negócio é o seguinte, tinham marcado uma reunião para saber de treino aberto, até isso está dando confusão no futebol brasileiro. Nem teve, eu decidi por conta própria mudar, me antecipei até porque já tinha a informação que a promotoria ia entrar com uma ação para não ter os treinos e uma das partes queria que acontecesse isso. Prevendo isso, já falei que o Corinthians ia treinar na sexta à noite”, explicou o mandatário, sem querer citar nominalmente o arquirrival.

“Eu falo do Corinthians, Palmeiras é problema deles”, começou Andrés. “Se tem duas partes, eu falei que é uma das partes, entenda como quiser”, continuou o dirigente, negando-se a dizer o nome do clube do Palestra Itália ao ser questionado objetivamente se era a ele que a fala se referia. “Você (repórter) que está falando, eu só estou falando que uma das partes não queria que tivesse”, assegurou.

Andrés, que recebeu diversas críticas nas redes sociais por ter “perdido a queda de braço” para o Palmeiras, como sugeriram torcedores corintianos ao saberem da mudança, ainda fez questão de pedir desculpas a quem trocou ingressos para o treinamento e, pelo reagendamento, não poderá mais comparecer.

“Primeiro pedir desculpa, é uma coisa de força maior, quem não puder ir, contate o clube que ele fará um ressarcimento. Vai ser uma das maiores festas vistas num campo de futebol”, prometeu Andrés, ironizando ainda o que pode vir a acontecer no futuro com as proibições de trânsito de torcidas em dias e horários simultâneos.

“Talvez nem jogo tenha daqui a pouco. Vou marcar uma festa, combinar com as torcidas, fazer uma festa na camisa 12, pavilhão 9, Coringão Chopp e Gaviões da Fiel, na quadra. Vai ser para ver o jogo, então pode ser que não façam o jogo”, concluiu.

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2018 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121