28/03/2018 às 11:00h
Simpatizante de Bolsonaro, Selma Arruda avalia se filiar ao PSL e disputar Senado

Arthur Santos da SilVA, GD


Aposentada da magistratura desde terça-feira (27), Selma Arruda ainda não decidiu sobre a vida política. Ela confirma contato adiantado com o PSL, partido do deputado federal Jair Bolsonaro, mas ainda ouve propostas. “Existe uma pré-disposição muito grande no sentido de que eu acompanhe a candidatura [à presidência] do deputado Jair Bolsonaro”.

Chico Ferreira

“Eu estou recebendo vários convites. Hoje ainda recebi mais de 2 convites. Acho que foi a repercussão da aposentadoria”, afirmou a juíza em entrevista a Rádio Capital.

O desembargador Rui Ramos, presidente do Tribunal de Justiça (TJMT), foi quem assinou a aposentadoria da juíza tiular da 7ª Vara Criminal de Cuiabá. Selma continuará recebendo seu salário por todos os serviços prestados em mais de 15 anos na magistratura.

Ela diz que o momento é de descanso, mas também de ouvir propostas. “Eu recebi um convite do PMN e do PV, mas recebi de outros. PSDB, PPS. Recebi convites do PSL. O PSL é o convite mais adiantado, vamos dizer assim. Enfim, vários partidos e a gente está estudando isso”, explicou.

O nome da magistrada é especulado para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa, no Senado e até mesmo numa composição de chapa, como vice, junto do atual governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), que buscará reeleição. Selma, Porém, impõe regras.

“As minhas exigências são no sentido de não ter que compartilhar o palanque com pessoas que respondem ou responderam a ações penais por corrupção. Nesse sentido, fica muito afunilada a escolha. Não é um partido de anjos. Não é um partido de santos. Eu preciso de um partido onde as pessoas não estejam envolvidas com corrupção. Eu não preciso entrar para a vida política”, salientou durante a entrevista.

Sobre o suposto convite de Pedro Taques, a juíza aposentada desmente. “Ele não me convidou. Acho que foi feito um comentário na mídia que acabou sendo explorado de uma forma muito maior do que aconteceu. Eu não recebi convite do governador para ocupar cargo de vice. Se eu recebesse iria estudar da mesma forma que estou estudando os outros convites”.

Selma afirmou ainda que pretende visitar as sedes dos partidos políticos na próxima semana, após os feriados da Semana Santa. A juíza adiantou que se sente preparada para disputar uma vaga no Legislativo, prioritariamente ao Senado.

“Eu tenho expertise, conheço leis. Eu trabalhei minha vida inteira com leis Então eu não me vejo preparada para exercer cargo no Executivo. Eu não tenho a mínima experiência administrativa. Já recebi convites para disputar o cargo de governo de Estado. Mas eu não me vejo preparada para isso”, finalizou. 

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2018 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121