02/03/2018 às 03:15h
Supremo compartilha delação de Silval com MPE para mais investigações

Celly Silva/ GD


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, compartilhou com a Procuradoria Geral de Justiça de Mato Grosso (PGJ-MT) documentos relativos a uma petição sigilosa em que consta parte da delação do ex-governador Silval Barbosa.


Ministro Luiz Fux

A informação consta em ofício enviado pelo procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, ao ministro do Supremo. No documento, assinado no último dia 28 e aportado nos autos da Petição 7085 nesta quinta-feira (1º), Curvo lembra que o pedido foi feito no dia 14 de setembro do ano passado quando foi deflagrada a Operação Malebolge (12ª fase da Operação Ararath). E reitera a necessidade de outros compartilhamentos. Isso porque, naquela ocasião, ele pediu o compartilhamento de anexos referentes a 3 petições e ainda o agendamento de uma reunião com Luiz Fux. Porém, o pedido foi parcialmente atendido com a remessa de apenas uma das petições.

“Vale mencionar que, além do supracitado expediente, pedido de compartilhamento foi juntado eletronicamente nos autos da Pet 7085, sob o nº 52987/2017, sendo que apenas foi atendida a solicitação relativa aos autos da Pet 7086”, diz trecho do ofício. A petição 7086 tramita em segredo de justiça. Nos bastidores, comenta-se que as delações de Silval Barbosa que ainda estão sob sigilo envolvem membros do Poder Judiciário e do Ministério Público Estadual (MPE).

João Vieira 

Documento está com procurador Mauro Curvo, que cobra outras delações

O ofício, que também é assinado pelo vereador presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó na Câmara de Cuiabá, Marcelo Bussiki (PSB), e pela diretora do Movimento Organizado pela Moralidade Pública e Cidadania (Ong Moral), Elda Mariza Valim, tem como objetivo reforçar o pedido de compartilhamento ao STF.

“Saliente-se que é de fundamental importância o atendimento do pleito, a fim de possibilitar a adoção das providências necessárias e cabíveis em face de todos aqueles que tenham incorrido na prática de improbidade administrativa, cuja competência para o processo e julgamento é da primeira instância da justiça Estadual Mato-grossense. Desse modo, requer-se que sejam compartilhadas e remetidas, com a urgência que o caso merece, a delação premiada do ex-governador do Estado de Mato Grosso, Silval da Cunha Barbosa, e outros, constantes das Pet 7085 e 7087, e todos os seus anexos, inclusive os sigilosos autuados em apartado”, diz trecho do ofício.

João Vieira

Delação sigilosa de Silval envolveria membros do MP e do Judiciário

Conforme apurado pelo Gazeta Digital, o envio de anexos foi feito apenas para o Ministério Público Estadual. O presidente da CPI do Paletó e a representante da Ong Moral não receberam cópias pelo fato de o assunto que trata a petição 7086 não manter relação com o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que é o alvo da CPI em andamento na Câmara Municipal de Cuiabá.

Elda Valim informou que, juntamente com o vereador Marcelo Bussiki, irá se reunir com o procurador Mauro Curvo para saber detalhes das condições do compartilhamento. 

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2018 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121