27/01/2018 às 01:33h
Polícia Civil apreende carro usado em fuga de assassinos de prefeito

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil deflagrou no município de Colniza (1.065 km a Noroeste) a 2ª fase da operação Pururuca, referente a atos do inquérito complementar 356/2017 que investiga o homicídio consumado do prefeito da cidade, Esvandir Antonio Mendes, 61, e a tentativa contra o secretário Admilson Santos, 41.

Na quinta-feira (25) policiais civis da Delegacia de Polícia de Colniza e da Gerência de Operações Especiais (GOE) apreenderam um veículo Hyundai HB20, cor branca.

De acordo com o delegado à frente do caso, Edison Pick, o automóvel guarda relação direta com o crime porque serviu para auxiliar a fuga dos criminosos. “O veículo foi utilizado pelo adolescente apreendido para buscar os executores no local onde eles tinham escondido o outro carro, que foi usado na execução do prefeito”.

Nesta sexta-feira (26) a Polícia Civil realiza outros atos, requisições, cumprimento de mandados e demais diligências que continuarão até a próxima semana. “Como os principais autores do homicídio já foram identificados e presos, o objetivo do inquérito complementar é investigar a organização criminosa que deu respaldo ao crime”, explica.

O caso / Indiciamentos

A ação integra os trabalhos de elucidação do crime que aconteceu no dia 15 de dezembro. Na ocasião, o prefeito conduzia uma Toyota SW4 preta quando foi interceptado pelos criminosos, em um veículo SUV, preto, cerca de 7 quilômetros da entrada da cidade. O veículo foi ao encontro da caminhonete, momento que foram efetuados vários disparos contra Esvandir que ainda conseguiu dirigir, mas acabou morrendo no perímetro urbano, na BR 174, esquina com a Rua 7 de Setembro. Outros dois disparos feriram o secretário Admilson, sendo um na perna esquerda e outro nas costas.

Foram detidos pela Polícia Civil Zenilton Xavier de Almeida, Welisson Brito Silva, Antônio Pereira Rodrigues Neto - sua esposa Yana Fois Coelho Alvarenga e seu irmão de 15 anos. Eles foram indiciados por homicídio qualificado, por motivo fútil, pela paga ou promessa de recompensa e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Os suspeitos também vão responder por tentativa de homicídio qualificado contra o secretário do município,  Admilson Ferreira dos Santos.

Saiba mais: http://www.pjc.mt.gov.br/noticia.php?id=17275

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2018 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121