16/12/2017 às 09:31h
Operação da Derf prende 15 envolvidos em roubos com restrição de liberdade das vítimas

Assessoria | PJC-MT

Quinze criminosos envolvidos em roubos a residência com restrição de liberdade das vítimas tiveram mandados de prisão cumpridos, pela Polícia Judiciária Civil, na operação Cárcere, deflagrada nesta sexta-feira (15.02), pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá. As ordens judiciais foram expedidas nos últimos dez dias, com base em investigações da delegacia que identificaram a atuação dos suspeitos em crimes de roubo majorado ou tentativa de latrocínio.

A operação reuniu todo efetivo da Derf, totalizando mais de 30 policiais, que atuaram no cumprimento dos mandados de prisão e busca e apreensão, tendo como alvo em criminosos identificados nas investigações do Núcleo de Roubo a Residência Com Restrição de Liberdade das Vítimas, coordenado pelo delegado, Caio Fernando Alvares de Albuquerque.

As ordens judiciais foram cumpridas nos endereços, nos bairros Tijucal, Lixeira e Altos da Serra. Oito alvos já estavam presos por outros crimes e tiveram os mandados de prisão cumpridos na Penitenciária Central do Estado (PCE), um deles no município de Nova Mutum. Três mandados, contra suspeitos não localizados, restam ser cumpridos.

 

Na residência de um dos criminosos, foram encontrados aparelhos televisores, identificados como produto de roubo das Lojas Martinello, de Campo Verde. Três pessoas que estavam na casa, uma delas menor de idade, foram conduzidas a Delegacia e responderão por receptação. Em poder de um dos alvos, os policiais encontraram uma pistola 380 municiada. O suspeito foi conduzido a Derf e além de ter a ordem de prisão cumprida, foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.

Entre os presos, estão os autores de um roubo, ocorrido no bairro Jardim Independência, em que quatro criminosos invadiram a casa, rederam a família e após subtraírem os pertences, ainda esfaquearam a vítima que estava amarrada. O delegado, Caio Fernando Alvares de Albuquerque, explica que uma das razões dos casos de roubo com restrição de liberdade a vítima serem extremamente graves é pelo fato da situação poder evoluir de roubo para latrocínio, na forma tentada ou consumada.

“Toda semana identificamos e damos cumprimento a ordens judiciais contra autores de roubo, porém a operação deu cumprimento a mandados expedidos nos últimos dez dias de situações de roubo e também de tentativa de latrocínio, uma vez que quando há restrição de liberdade da vítima, a situação pode se agravar, gerando reações, muitas vezes não planejadas, dos criminosos contra as vítimas”, explicou o delegado.

Núcleo de Roubo a Residência com Restrição de Liberdade da Vítima

O Núcleo de Roubo a Residência com Restrição de Liberdade da Vítima é formado por oito investigadores, três escrivães, e um delegado com objetivo de disponibilizar o pronto atendimento logo após o crime. A equipe da Derf vai até o local do roubo, aciona a perícia quando necessário e colhe as informações o quanto antes, possibilitando muitas vezes, a prisão em flagrante.

O setor também tem como foco o atendimento humanitário da vítima, visando o bom atendimento quando a vítima ainda está abalada pela situação, o acesso com tranquilidade ao arquivo fotográfico da delegacia e relato das características dos suspeitos.

Com base nas informações, os policiais fazem a análise dos vínculos, consultas fechadas, trabalhos de campo, monitoramentos e outros trabalhos com o objetivo de identificar e prender os autores do crime.

“A identificação dos suspeitos e sucesso da operação só foi possível graças ao trabalho de toda equipe do Núcleo de Roubo a Residência com Restrição de Liberdade da Vítima, assim como as equipes do Núcleo de Inteligência e Operacional da Derf, que não mediram esforços para coibir a ação dos envolvidos nesse tipo de crime”, destacou o delegado Caio Albuquerque.

O nome da operação “Cárcere” refere ao fato de conduzir os criminosos para a Cadeia. 

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121