20/11/2017 às 09:47h
Presidente da Câmara de Colíder e vereadores participam de evento de escola infantil em homenagem ao Dia da Consciência Negra
 Sérgio Ober - Assessor de Imprensa

A Escola Municipal de Educação Infantil José de Freitas, em Colíder, antecipou para esta quarta-feira (15.11), Dia da Proclamação da República, as homenagens pelo Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro.

O evento também agregou o Projeto Comunidade na Escola. Houveram apresentações culturais. O presidente da Câmara, Rica Matos (PSD), e os vereadores Alencar Pereira (DEM), Dóris Sguizardi, Ruam Batista e Zé Moreira (PSD) prestigiaram a programação.

“O importante é ver toda a sociedade participando, independentemente de serem negros ou brancos. O importante é atrair as famílias para a escola. Fico feliz que essa interação aconteça em Colíder para que a gente consiga construir uma cidade ainda melhor”, comenta Rica.

VEJA MAIS FOTOS DO EVENTO

Para Zé Moreira é importante que a escola se dedique à cultura afro-brasileira. “É uma forma de resgatar a história, que envolve a colonização com a participação das pessoas que vieram da África. É uma história muito triste, mas que precisa ser relembrada, inclusive, para combater o preconceito. Por isso, é importante que a escola se envolva”.

Alencar Pereira avalia que é fundamental a participação da Câmara nesse processo de conscientização e valorização da cultura negra. “Os vereadores devem dar o seu incentivo e contribuir. Isso é importante para integrar ainda mais as pessoas de Colíder. O preconceito e a diferença não existem em nossa câmara. A gente trabalha pela harmonia”.

REFLEXÃO E RESPEITO

A diretora da escola, Nilza Romualdo dos Santos, diz que a comemoração do Dia da Consciência Negra busca promover entre as crianças a reflexão sobre a importância do povo afro-brasileiro na história e na construção da economia brasileira.

“É uma forma de a gente trabalhar e refletir a respeito de tema, que faz parte do currículo da escola. E nós começamos envolvendo os pequeninos de um a cinco anos. Já discutimos esse tema com eles para que cresçam com respeito às pessoas e à cultura afro-brasileira, sem preconceitos”, pontua Nilza.

Márcia Chagas, que é coordenadora do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), avalia que o preconceito ainda é algo muito recorrente na sociedade atual.

“Vivemos num mundo onde ainda há o preconceito. E ele existe e precisa ser combatido através de ações como essas promovidas pela Escola José de Freitas, envolvendo a criança. Com isso, cria-se uma autoconsciência sobre o tema, o que também é importante para combater as desigualdades em todos os níveis”, comenta. 

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121