20/09/2017 às 11:06h
Juan conta quem foi seu melhor parceiro de zaga e revela: 'Quase fui para o Barcelona de Guardiola'

Em mais de 20 anos de carreira profissional, o zagueiro Juan, do Flamengo, teve grandes parceiros de defesa. Atuou, por exemplo, ao lado do lendário paraguaio Carlos Gamarra no início dos anos 2000, quando ainda era um jovem recém-saído das categorias de base na Gávea. Já na Roma, equipe que defendeu entre 2007 e 2012, dividiu muitas vezes a zaga com o argentino Gabriel Heinze, titular da seleção Albiceleste

No entanto, ele mesmo admite que, apesar de ter atuado ao lado de muitos craques, foi Lúcio seu melhor parceiro de defesa em todos os tempos. Eles jogaram juntos por dois anos no Bayer Leverkusen, da Alemanha, e foram os titulares absolutos da seleção brasileira em duas Copas do Mundo: 2006 e 2010. 

"Tive o prazer de atuar ao lado de grandes zagueiros. Comecei no Flamengo com Gamarra e Júnior Baiano, por exemplo. Mas foi com o Lúcio que formei a melhor dupla, porque jogamos muito tempo juntos no Leverkusen e na seleção brasileira", contou Juan, em entrevista ao ESPN.com.br

"Aliás, conseguimos um feito inédito: nunca antes na história uma dupla de zaga da seleção se repetiu de uma Copa para a outra, e nós fomos os primeiros a fazer isso. É algo para ser lembrado", completou.

Juan diz que ele e Lúcio tinham personalidades distintas, mas se entendiam em campo como se fossem irmãos.

"Nós nos entendiamos muito bem. O Lúcio sempre foi um grande companheiro, e me ajudou muito na minha chegada à Alemanha, porque eu fui para lá muito jovem quando saí do Flamengo. Ele já era campeão do mundo em 2002 e ídolo do time, então foi meu grande parceiro", lembra.

"A gente já se entendeu perfeitamente desde o primeiro dia e formamos uma grande dupla lá e na seleção. Todos diziam que era impressionante a gente se entrosar tão bem, sendo que temos personalidades tão diferentes", ressaltou. 

Apesar de terem se destacado pelo ótimo desempenho com o Brasil, Juan e Lúcio não conseguiram ganhar um Mundial juntos. Tanto em 2006 quando em 2010, eles acabaram sendo eliminados nas quartas de final, primeiro para a França, depois para a Holanda.

  • 'Quase joguei no Barcelona do Guardiola'

Após jogar cinco anos no Bayer Leverkusen, Juan foi vendido em 2007 à Roma, por 6,3 milhões de euros (R$ 23,65 milhões, na cotação atual).

Na equipe italiana, ele manteve o alto nível de outros anos e, em 2009, acabou chamando a atenção daquele que viria a ser o grande time do mundo por um período: o Barcelona comandado por Josep Guardiola. 

À época, a mídia italiana publicou que os blaugranas ficaram muito próximos de um acordo para levar o brasileiro, inclusive oferecendo um salário de 2 milhões de euros (R$ 7,5 milhões, na cotação atual) por temporada. 

Oito anos depois, o próprio Juan confirma que a negociação de fato aconteceu e quase foi fechada, mas...

"Quando eu estava na Roma, de fato houve essa possibilidade de transferência. A vez que chegou mais perto foi em 2009, depois da minha primeira temporada na Roma. Cheguei a conversar com o Barcelona, mas não deu certo", contou. 

"Era o começo da era Guardiola. Tive um contato com empresários que estavam intermediando a ida para o Barcelona, porque havia uma cláusula no meu contrato com a Roma que me permitia sair se fosse pago um preço bom. Mas as coisas não se concretizaram", revelou.

Com isso, Juan acabou ficando na Roma até 2012, quando rescindiu no meio do ano e acertou sua ida para o Internacional.

"Não deu certo ir para o Barcelona, mas fui muito feliz na Roma. Foram anos muito bem vividos. Sempre briguei na parte de cima da tabela e fiz grandes jogos. Infelizmente, não conquistei tantos títulos por lá", lamentou o atleta, que foi campeão da Copa da Itália e da Supercopa com o time da capital.

"O mais emocionante foi ter a possibilidade de sempre estar participando dos torneios europeus, como a Champions League. Foi muito importante para a minha carreira, porque me fez amadurecer demais", salientou.

Juan ficou três anos no Inter, até 2015, quando acertou o retorno ao Flamengo.

Nesta quarta-feira, ele tenta seguir rumo à conquista de seu 6º título com a camisa rubro-negra (ganhou quatro Cariocas, uma Copa Mercosul e uma Copa dos Campeões), já que o Fla encara a Chapecoense, às 19h15 (de Brasília), pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana.

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121