13/09/2017 às 10:34h
10 motivos pelos quais a estreia de Gabriel Jesus na Champions, aos 20 anos, deve ser uma 'moleza'

Nesta quarta-feira, às 15h45 (de Brasília), o Manchester City visita o Feyenoord, pela 1ª rodada da fase de grupos da Champions League.  Provável titular da equipe inglesa, o atacante Gabriel Jesus disputará pela primeira vez na carreira a competição da Uefa. Motivo suficiente para estar bem nervoso, certo? 

Para o camisa 33, porém, deve ser "apenas mais um jogo".

É que o ex-palmeirense, apesar de ter apenas 20 anos, é considerado um jogador experiente, pois já viveu de tudo um pouco desde que surgiu nas categorias de base alviverdes, ainda como Gabriel Fernando, até chegar à poderosa Premier League.  

Veja 10 motivos para Jesus não "sentir" a estreia na Champions:

  • 1. Aos 15, já foi artilheiro de um campeonato

Quando tinha apenas 15 anos e ainda era conhecido como Gabriel Fernando, o atacante foi artilheiro da Copa São Paulo sub-15, marcando incríveis 29 gols.

Seu desempenho chamou a atenção de vários grandes clubes, e o Palmeiras o levou para sua base na sequência, dando início a uma história de sucesso.

Logo em seu primeiro ano, por exemplo, se firmou como titular e anotou espetaculares 54 gols em 48 partidas com a camisa palestrina.

  • 2. Aos 17, já era estrela da Adidas

Pouco após arrebentar na base do Palmeiras, sendo artilheiro do Campeonato Paulista sub-17 de 2014 com 37 gols em 22 jogos, Gabriel mudou de nome: saiu o Fernando e entrou o Jesus. Ele renovou seu contrato com o Palmeiras por mais três anos, até 2017, e foi promovido ao elenco adulto.

Ao mesmo tempo, ele assinou seu primeiro contrato com a gigante Adidas, inicialmente até março de 2015. No ano seguinte,  porém, "bombou" de vez e renovou seu vínculo com a empresa, tornando-se uma das estrelas da marca.

Prova disso é que ele foi um dos nomes que participaram do lançamento da bola oficial do torneio de futebol dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, além de estar sempre aparecendo nos anúncios de novas chuteiras e produtos da companhia alemã.

  • 3. Aos 17, já era titular da seleção sub-20

Após ser promovido ao elenco adulto do Palmeiras, Gabriel Jesus também foi convocado pela primeira vez para a seleção brasileira sub-20. Isso ocorreu em abril de 2015, quando ele foi chamado para um torneio amistoso na Áustria, que contou com as seleções de Honduras, Camarões e Catar. 

Sua estreia foi contra o Catar, jogo em que ele marcou também seu primeiro gol pela equipe. Suas boas atuações na competição lhe garantiram uma vaga entre os selecionados do técnico Rogério Micale para o Mundial sub-20 da Nova Zelândia, no mesmo ano.

No torneio da Fifa, foi titular absoluto, marcou um gol e contribuiu com várias assistências, ajudando o Brasil a chegar até a decisão. Na final, porém, o time acabou perdendo por 2 a 1 para a Sérvia, na prorrogação, e amargou o vice.

  • 4. Aos 18, já era titular do Palmeiras

Gabriel Jesus voltou ainda mais maduro do Mundial sub-20 e aos poucos foi conquistando a titularidade na equipe, primeiro com o técnico Oswaldo de Oliveira e depois com Marcelo Oliveira, que foi contratado em junho.

Seu primeiro gol pelo profissional saiu em 15 de julho daquele ano, dando a vitória por 1 a 0 ao Palmeiras sobre o ASA, pela Copa do Brasil, e garantindo a classificação às oitavas de final. Na sequência, impressionou o Brasil ao "destruir" o Cruzeiro em pleno Mineirão, deixando o goleiro Fábio deitado no chão e marcando duas vezes no triunfo por 3 a 2, que classificou os alviverdes para as quartas.

No final daquele ano, ele terminaria campeão do torneio aos 18 anos, em cima do rival Santos, já como titular absoluto da equipe. Na grande decisão, porém, entrou em campo com dores no ombro e não aguentou, sendo substituído ainda no primeiro tempo. Do banco, viu seus companheiros ganharem nos pênaltis.

  • 5. Aos 18, já foi vítima de racismo

Após ser campeão da Copa do Brasil em 2015, Gabriel teve no ano seguinte a chance de disputar sua primeira Copa Libertadores. E ele não fez feio: anotou quatro gols e terminou a competição como artilheiro do Palmeiras, apesar do clube ter sido eliminado ainda na fase de grupos, em campanha desastrosa.

Sua participação na competição da Conmebol também ficou marcada por um episódio infeliz: na derrota para o Nacional-URU em Montevidéu, pouco antes de seu aniversário de 19 anos, ele foi vítima de insultos racistas de torcedores que imitaram macacos quando o jogador estava próximo à linha lateral.

Apesar de ter ficado revoltado, Jesus não se pronunciou sobre o caso. O Palmeiras, por sua vez, denunciou o Nacional-URU ao Tribunal da Conmebol, mas o caso, como de hábito, terminou em "pizza": uma mera multa de US$ 10 mil (R$ 31,2 mil, na cotação atual) e nenhuma perda de mando de campo.

  • 6. Aos 19, já foi campeão brasileiro

 O camisa 33 não se abateu com o caso de racismo e a eliminação na Libertadores, fazendo um grande Campeonato Brasileiro na sequência.

Jogando o fino da bola, o jovem atleta, então com apenas 19 anos, marcou 12 gols e ajudou o Palmeiras a ser campeão nacional pela primeira vez desde 1994. 

Além disso, terminou como artilheiro alviverde na competição, ganhando também o prêmio "Bola de Ouro", dos canais ESPN, como melhor jogador do torneio.

  • 7. Aos 19, já foi campeão olímpico

No meio de 2016, Gabriel Jesus foi convocado pelo técnico Rogério Micale, seu velho conhecido, para ser o camisa 9 da seleção brasileira no torneio de futebol dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, ao lado de várias outras jovens estrelas.

Ele não decepcionou o "professor" e marcou três gols na competição, terminando como vice-artilheiro do Brasil, atrás apenas de Neymar, que fez quatro.

No fim das contas, ajudou a seleção a bater a Alemanha nos pênaltis na grande decisão, no Maracanã, dando ao país sua primeira medalha de ouro no futebol.

  • 8. Aos 19, estreou com gol pela seleção principal

"Voando" no Palmeiras, não demorou para Gabriel Jesus chegar também à seleção brasileira principal, que vivia crise e precisava de um "fato novo".

Em setembro de 2016, na reta final do título palmeirense, ele foi chamado pelo técnico Tite para salvar a equipe verde e amarela, que passava apuros nas eliminatórias após péssimos resultados com Dunga.

Mostrando enorme maturidade e futebol de veterano, ele não ligou para a pressão do Equador e nem para a altitude de Quito. Vestindo a camisa 9 de tantas lendas, foi às redes duas vezes e acabou como grande destaque (ao lado de Neymar) da vitória por 3 a 0, que marcou o início de uma enorme série de vitórias que acabou classificando a seleção para a Copa do Mundo com enorme antecedência. 

Gabriel Jesus comemora gol pelo Manchester City em cima do Liverpool© EFE/EPA/NIGEL RODDIS Gabriel Jesus comemora gol pelo Manchester City em cima do Liverpool
  • 9. Aos 19, foi vendido por quantia milionária

A passagem de Gabriel Jesus pelo Palmeiras foi vitoriosa, goleadora e... Rápida! 

Já em agosto de 2016, o Manchester City anunciou a contratação do craque por 32,75 milhões de euros (R$ 122,3 milhões, na cotação atual), com o atleta assinando até a temporada 2020/21.

O artilheiro terminou a temporada como campeão brasileiro pelo clube palestrino e na sequência se apresentou em janeiro ao Manchester City, onde chegou com muita pompa e não demorou para fazer sucesso, como em todas as outras ocasiões de sua carreira.

  • 10. Aos 20, é titular absoluto do City

Jesus teve um começo meteórico com a camisa do time inglês. Sem sentir a pressão da Premier League, teve um gol anulado logo em sua estreia, em 21 de janeiro de 2017, quando entrou no segundo tempo do empate por 2 a 2 com o Tottenham. Uma semana depois, foi titular pela primeira vez e já marcou seu primeiro gol na vitória por 3 a 0 sobre o Crystal Palace, pela Copa da Inglaterra.

Seu começo espetacular, porém, acabou interrompido no final de fevereiro, quando ele sofreu uma fratura no pé e teve que passar por cirurgia. Voltou aos campos só em abril, e voltou com tudo. Ele acabou a última temporada com sete gols e quatro assistências nas oito partidas em que começou como titular, ajudando os Citizens a acabarem na 3ª posição da liga, classificando-se à Champions

Agora, com 20 anos, ele é titular absoluto do time comandado por Josep Guardiola e, nesta quarta-feira, jogará a Liga dos Campeões pela primeira vez na carreira. Alguma dúvida de que, para o camisa 33, será apenas mais um jogo?

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Bem Mais Comunicação - CNPJ 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Jose Paulo DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 2121