29/08/2017 às 11:10h
PGR denuncia Jucá ao STF em esquema de venda de medidas provisórias

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), sob a acusação de pedir e receber 150 mil reais em propina para atuar a favor da Odebrecht na tramitação de duas medidas provisórias no ano de 2014.

Jucá foi acusado criminalmente de ter cometido os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. É a segunda denúncia feita por Janot contra ele em menos de uma semana.

Segundo a acusação, o pagamento da propina foi feito por meio de uma doação de 150 mil reais ao diretório do PMDB de Roraima - esse repasse depois bancou a campanha do filho de Jucá, Rodrigo, então candidato a vice-governador daquele Estado.

Em troca, segundo a PGR, o senador atuou para alterar legislações tributárias de interesse do grupo Odebrecht em duas iniciativas legislativas.

"Romero Jucá efetivamente agiu, violando dever funcional, apresentando emendas, atuando como relator e votando em favor do grupo Odebrecht em tramitação de ao menos duas medidas provisórias", afirma Janot, na denúncia de 40 páginas.

O procurador-geral também denunciou o ex-diretor da Odebrecht Cláudio Mello Filho por corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

O advogado de Jucá, Antonio Carlos de Almeida Castro, criticou a denúncia oferecida contra seu cliente. Disse que a acusação é surpreendente porque a Polícia Federal não havia encerrado a investigação do inquérito.

"O procurador Janot resolveu atirar todas as flechas possíveis", reclamou Kakay, como é conhecido, ao considerar que o Supremo vai rejeitar o recebimento da acusação.

O defensor disse ainda que Janot não apontou na denúncia nenhum ato que Jucá tenha praticado. "Realmente ele está sendo denunciado pelo prestígio que tinha e o empresário apostava no prestígio dele", afirmou. "É um caso de criminalização da atividade parlamentar sem que se aponte uma contrapartida." 

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Bem Mais Comunicação - CNPJ 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Jose Paulo DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 2121