16/08/2017 às 07:13h
Após teste, Santos pensa em reformulação para o ataque em 201

Há dois meses no comando do Santos, o técnico Levir Culpi já utilizou mais da metade do elenco e mudou o time titular. No entanto, um setor ainda preocupa comissão técnica e diretoria: o ataque, que apresenta dificuldades de reposição. No último teste, em que o treinador poupou três titulares, não aprovou as atuações de Vladimir Hernández e Thiago Ribeiro. Antes disso, a cúpula do Peixe já discutia reformulações no setor para o ano que vem.

Dois atacantes não devem permanecer na Vila Belmiro, são estes os casos de Thiago Ribeiro, que tem contrato até o fim desta temporada, não vai renovar devido ao salário considerado alto (o mesmo de Lucas Lima e Ricardo Oliveira). Já Kayke está emprestado pelo Yokohama Marinos, do Japão e para ficar, teria que ser comprado por 1,5 milhões de dólares (R$ 5 milhões), o que já foi cogitado pelo Alvinegro. Porém, com a chegada de Nilmar, as chances de pagar pelo camisa 11 diminuíram.

Reconhecido por dar rodagem o elenco Levir também testou Kayke e teve um bom retorno. O carioca rendeu e marcou gols, puxou contra-ataques e chegou a ser artilheiro, mas com o retorno de Ricardo Oliveira, perdeu espaço e foi para o banco.

Outro fator que não facilita a vida de Kayke é a concorrência com Rodrigão. Emprestado ao Bahia, o atacante de 23 anos já tem quatro gols no Campeonato Brasileiro e é visto como opção mais barata, já que foi comprado pelo Santos e tem salário menor.

Juntos, Ricardo Oliveira, Kayke, Bruno Henrique e Copete somam 37 gols na temporada, o que representa quase metade dos gols do time no ano. Do quarteto, o camisa 9 é o que menos balançou as redes (cinco vezes). Bruno Henrique é o artilheiro do time no ano com 12, enquanto Copete tem dez e Kayke, nove.

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Bem Mais Comunicação - CNPJ 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Jose Paulo DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 2121