31/03/2017 às 09:22h
Tá na Área: escritório americano estuda ação contra a Chape; Veja mais


Mais uma ação será movida contra a Chapecoense, movida por familiares de vítimas. Dessa vez, por um escritório americano. Localizado em Miami, na Flórida, o Podhurst Orseck vai cobrar que o prêmio do seguro pela queda do avião seja efetuado no valor de U$ 300 milhões (cerca de R$ 950 milhões), que é praxe de mercado, e não em U$ 25 milhões (R$ 79 milhões), como anunciado. O escritório afirma já ter assinado com 14 familiares.

"Estamos tentando acessar o contrato de seguro e o contrato firmado entre Chapecoense e a LaMia, mas o clube não mostra. Alega questões de confidencialidade, mas as famílias têm esse direito", disse ao Blog o advogado Fabiano Emery, representante do escritório americano no Brasil.

Segundo ele, o escritório americano é especializado neste tipo de causa e teria condições de atuar no Brasil pelo fato de a fabricante da aeronave, a British Aerospace, ter modelos em atuação nos Estados Unidos. A inicial, no entanto, ainda não foi movida

Membros de conduta ilibada

Um dos delatores do esquema que levou à prisão 5 dos 7 conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), do Rio, fazia parte do STJD até outro dia. Jonas Lopes de Carvalho Neto renunciou ao cargo em dezembro, após ter sido levado à sede da Polícia Federal para depor nas investigações. Ele era presidente da 5ª Comissão Disciplinar do Tribunal. Para a sua vaga, foi nomeado Flávio Boson, auditor do TJD/MG, e atuava como procurador do STJD.

O ex-membro do STJD, juntamente de seu pai, Jonas Lopes de Carvalho Júnior, ex-presidente do TCE, são acusados de receber propina para aprovar obras do Governo, entre elas a do Maracanã. Um dos delatores do esquema diz em depoimento que pagou R$ 1 milhão de propina (de um total de R$ 4 milhões que ainda seriam pagos) ao próprio Neto, em seu escritório de advogacia, no centro do Rio.

Neto atuou em pelo menos duas decisões polêmicas, enquanto auditor. Em 2012, foi responsável por punição a Ronaldinho Gaúcho quando o meia jogava pelo Atlético-MG. Punido com um jogo de suspensão, a ação foi motivada sem que o árbitro do jogo (contra o Grêmio) tivesse apontado o fato na súmula. Ao levantar o histórico do auditor, internautas revelaram que ele é torcedor do Flamengo, tendo feito posts contra Ronaldinho em momentos anteriores.

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Bem Mais Comunicação - CNPJ 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Jose Paulo DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 2121